Arquivo da tag: assessoria de imprensa

E quando o jornal ou TV erra… e gera uma crise?

Como um pedido de retratação reverteu uma crise originada a 2,7 mil quilômetros de distância

gerenciamento de crise

Já contamos aqui que uma crise de imagem pode ter origens diversas – inclusive alheias ao negócio, como nesse caso: surgiu numa matéria que contava uma história que acontecia a 2.700 quilômetros de distância. E foi resolvida com trabalho de Assessoria de Imprensa e Gerenciamento de Crise.

Era uma reportagem na principal emissora do país sobre jogos e apostas envolvendo dinheiro em escolas do Nordeste.

De repente, no que se chama imagem de cobertura (quando o repórter ou apresentador conta uma história e imagens relacionadas aparecem), mostram instalações e alunos de um cliente da Comunicare em São Paulo, com logo à mostra e legível no uniforme.

Pronto, estava armada a confusão, com pais e mães de alunos ligando para a escola para saber o que estava acontecendo, pais e mães de futuros alunos ameaçando cancelar a matrícula e por aí vai.

Os sócios do grupo que controla esta escola (e mais cinco) acionaram nossa equipe, dizendo que iriam processar a emissora e precisavam da gravação.

Pedimos calma e que aguardassem, pois iríamos reverter a situação.

Utilizando os canais corretos, mostramos o erro e solicitamos retratação à produção e direção do programa.

A emissora retirou o trecho com as instalações e o uniforme da matéria que tinha ido também para o site, e a apresentadora do programa reconheceu o erro e pediu desculpas à escola e à comunidade de pais e alunos na edição seguinte do jornalístico.

Com isso, a rotina (e matrículas) voltou à normalidade, e o grupo economizou uns bons milhares de reais com advogados.

De interessante, fica:

– A observação da potência que o meio televisivo tem e que a crise ganhou velocidade e tamanho com os pais e mães usando whatsapp entre eles (isso diz respeito ao caminho que a crise toma, também abordado por nós nesse texto).

– E que usar estratégias de Comunicação contra problemas de Comunicação é a melhor saída.

PS: Estamos no LinkedInFacebook e Instagram.

Conecte-se com os sócios da ComunicareFábio Alberici e Adriana Cavalcanti.

Crise de imagem – cinco dicas para enfrentar

Uma crise de imagem pode ter diversas origens, de acidentes (de qualquer magnitude) ou agressões a questões como assédio e trabalho escravo na cadeia produtiva, passando por temais mais corriqueiros como produtos com defeito ou não entregues, mau atendimento, validades vencidas, etc.

Crise de imagem

Se antes o único canal para uma crise se alastrar era via imprensa, hoje as redes sociais e apps de comunicação permitem que problemas de imagem ganhem proporções rapidamente.

Um tema complexo que exige muitas análises de fatores de risco, comportamentais, mercados, entre outras, mas que podemos listar alguns pontos comuns a todas.

5 DICAS PARA ENFRENTAR UMA CRISE

  1. Tente prever as crises e, tão importante quanto, quais caminhos ela faria até chegar aos canais de sua empresa.

Quais redes sociais seus consumidores mais usam? Quais os pontos de contato da sua empresa com a sociedade/comunidade? Quem seu colaborador avisaria assim que soubesse de um problema?

Isso é importante para saber onde agir, quem treinar, o que monitorar. O quanto antes você souber da crise, mais controle sobre ela você terá!

  1. Nunca minimize uma crise! Essa é uma orientação propalada por Jack Welch, um ícone da administração de empresa modernas que fez história comandando a americana G&E.

Segundo ele, deve se tratar uma crise como se fosse a maior crise que sua empresa poderia enfrentar.

Se ela não atingir tal ponto, ao menos você terá aprendido bastante e terá se preparado para as próximas

  1. Nos meios tradicionais de imprensa (TVs, rádios, revistas, sites, etc), não culpe o mensageiro pela possibilidade de crise.

Ou seja, não adianta apontar como causa do problema o jornalista que abordar sua empresa por apurar um fato relatado ou descoberto por ele.

Foque nas explicações a serem dadas para, no melhor dos casos, reverter integralmente a crise, e nas medidas a serem tomadas, caso a questão seja procedente.

Aqui e aqui listamos dicas para conceder boas entrevistas.

  1. Nas redes sociais, seja cortês e solícito, sempre!

Não importa a linguagem e tom utilizados pelos reclamantes, uma resposta mal-educada pode ampliar, e muito, uma conversa que poderia ter um círculo bem restrito

5. Transparência ao máximo – tanto para comprovar que tal problema não existiu ou não que era de sua responsabilidade, como para assumir responsabilidades e mostrar que tomou as medidas necessárias caso ele tenha existido

Dois exemplos, um negativo e um positivo, mostram a importância do que explicamos aqui.

PS: Estamos no LinkedInFacebook e Instagram.

Conecte-se com os sócios da ComunicareFábio Alberici e Adriana Cavalcanti.

Como calcular o retorno do investimento em Comunicação?

Centimetragem, origem de contatos e outros modelos não conseguem mensurar o impacto que Assessoria de Imprensa e outras ferramentas trazem ao negócio

ROI COMUNICAÇÃO

 

 Se tem algo que suscita debates é o tal do ROI (return over investment, ou quantos reais voltam para cada real gasto) em Comunicação e principalmente Assessoria de Imprensa.

Em Assessoria de Imprensa, os métodos mais antigos falavam em centimetragem – quanto o espaço conquistado em matérias valia em espaço publicitário equivalente.

E aqui já começava a briga, pois um veículo falando bem de seu negócio, produto ou serviço tem muito mais potência de convencimento que um anúncio. Quanto, duas, três, cinco vezes? E se falasse mal?

Também tinha aquela tentativa de tracking, aí já extrapolando para comunicação em geral:

“Como o senhor ficou sabendo de nós?

(   ) Anúncio  (    ) Reportagem   (     ) Indicação  (     ) Redes Sociais  (    ) Outros”.

Mas aí o sujeito viu uma matéria, daí comentou com um amigo e comprou um serviço após passar pelo outdoor enquanto um anúncio apareceu no facebook. Qual ele assinalaria?

Hoje, no mundo digital, podemos ter CTR, % de engajamento, taxa de conversão, jornada do cliente, etc. Ajuda a clarear o ROI quando falamos de venda de produtos.

 

Mas e imagem? Como calcular o ROI de comunicação sobre imagem?

Recentemente, três casos chamaram atenção aqui na Comunicare, e colocam mais lenha nessa fogueira:

1 – Há três anos, divulgamos um acordo de uma rede de escolas com o Google. Como resultado, aumento antecipado de matrículas. ROI fácil de calcular – quanto veio de matrícula dividido por quanto se investiu, pronto, resultado final.

Mas a coordenadora de marketing digital das escolas contou poucas semanas atrás que aquele trabalho foi o ponto de inflexão na imagem da escolas, aliando modernidade à sua marca, o que traz retorno até hoje.

2 – A Adriana Gattermayr, CEO da Gattermayr Consulting, nos contou que a série de vídeos sobre gestão de carreira e pessoas que conseguimos emplacar Exame.com trouxe centenas de novas conexões no LinkedIn, pedidos de reunião e reforço no posicionamento junto a clientes  e prospects. (confira um dos vídeos aqui).

3 – Um grupo em recuperação judicial precisava provar que estava operacional e financeiramente pronto para honrar compromissos. Fizemos um projeto faseado que comprovou isso e ajudou a:

  • Reabrir linhas de crédito
  • Destravar a cadeia de suprimento
  • Reconquistar clientes perdidos

Hoje o Grupo trabalha com resultados positivos e futuro promissor, ante a um quase estrangulamento na operação.

Não conseguimos precisar um ROI para cada uma dessas três ações, inclusive porque quanto mais passa o tempo mais esse retorno parece aumentar. ROI infinito? imensurável? Progressivo?

Equipe Comunicare

Estamos no LinkedIn.

Conecte-se com os sócios da ComunicareFábio Alberici e Adriana Cavalcanti.

Assessoria de imprensa: resiliência com foco no resultado

Para falarmos da importância da resiliência na Assessoria de Imprensa com resultado, buscamos na agenda a data em que levamos nosso cliente à sede de uma grande emissora de TV para um café.

Foi no dia 21 de julho que o apresentamos ao produtor e, juntos, sentamos rodeando uma mesinha de lanchonete para desenhar o que seria um dos maiores estudos sobre corrupção já feitos no país.

Trabalhamos com exclusividade, pois era a maneira de aumentar o espaço e o envolvimento da emissora de TV – essa é uma ferramenta importante em assessoria de imprensa. (clique aqui para entender o que faz uma assessoria de imprensa)

As três partes saíram de lá empolgadíssimas com o que estava por vir: a missão do cliente era esmiuçar dentro de uma base de dados de mais de 140 milhões de processos da Justiça brasileira todos aqueles que se referiam a algum tipo de ato ilícito contra a administração pública.

A da Comunicare era garantir que a resposta chegaria no curto prazo, para as coisas não ‘esfriarem’.

Por fim, a do produtor era lutar com a chefia de reportagem para não ‘perder’ a pauta para a equipe de Brasília (para onde vai – e onde nasce – a maioria das notícias desse tipo atualmente).

Mas demorou mais que o esperado

Pois bem, desde aquela tarde em que todos saíram empenhados nas suas funções, até a veiculação da matéria, se passaram looongos quatro meses e três dias.

Se chegamos a pensar que a pauta tinha caído? Sim. Mas é aí que entra a resiliência no trabalho de assessoria de imprensa.

Por mais difícil e até desacreditado que o projeto que esteja, a gente tem que segurar firme as expectativas do cliente, entender (e por que não, confiar?) o lado do jornalista e conduzir as duas partes com o máximo de jogo de cintura.

Nessa negociação em que a gente hora é cobrado e hora é cobrador, o que mais pensávamos era no resultado que essa matéria geraria para o cliente – uma startup enxuta com um gasto mensal de R$ 100 mil só com armazenamento de dados e que fez na assessoria de imprensa seu único investimento em marketing.

E acreditar e perseverar deu certo!

A matéria foi ao ar com destaque – e rendeu conversas com novos prospects e investidores para a start-up, com um possível aporte que garantirá a operação da empresa pelo próximo ano.

Por que o resultado demorou tanto?

Porque o estudo era gigante e demandou mais envolvimento de todas as partes que o esperado, com um impacto importante em estruturas enxutas, tanto do cliente como da produção da TV.

E, também, porque é tanta notícia sobre corrupção em jornais que a batalha por espaço do que não seja hard news é intensa.

Portanto, mais uma vez, resiliência para enfrentar todos os desafios que surgem é importante para que todos os envolvidos não percam o foco no resultado final.

Equipe Comunicare

Estamos no LinkedIn.

Conecte-se com os sócios da ComunicareFábio Alberici e Adriana Cavalcanti.

Assessoria de Imprensa – Dicas para uma entrevista – parte 2

 

preparação para entrevista

Em assessoria de imprensa, sempre orientamos como lidar com jornalistas.

No post anterior, comentamos ações que devem ser evitadas numa entrevista para a imprensa, qualquer que seja o tipo de mídia (revista, jornal, TV, blog, etc.).

Como dar uma boa entrevista?

Agora, abordaremos como se preparar para uma, ou seja o que fazer antes de atender o/a jornalista:

  1. Prepare-se:informe-se com seu assessor de imprensa ou com o/a próprio jornalista. Pergunte qual o assunto de interesse e revise seus conhecimentos e opiniões sobre o tema.
    Mais que isso, pergunte que tipo de questões ele/a pretende fazer, e tenha anotações à mão se achar necessário – principalmente quando tiver que abordar números e estatísticas.
  2. Seja ágil e prestativo: quanto mais rápida e colaborativa for sua resposta à solicitação de entrevista ou informação, maior as chances de exposição positiva e recorrente.
    Portanto, fique atento às demandas da sua assessoria de imprensa ou área de comunicação da empresa em que trabalha.
  3. Seja sucinto: pense em respostas objetivas e diretas, visando a facilitar o entendimento. Dica ainda mais importante se for o caso de entrevistas para rádio ou TV, quando o tempo para respostas costuma ser curto.
  4. Seja sincero: se não tiver/souber uma informação, não hesite em dizer isso ao repórter. Ofereça-se para buscar a informação e responder mais tarde ou, ainda, indique alguém que tenha a resposta. Isso baseará uma relação de confiança.

PS: Se tiver dúvidas ou precisar de mais dicas, estamos no LinkedInConecte-se conosco: Fábio Alberici e Adriana Cavalcanti.

 

Dicas para uma boa entrevista – parte 1

Como Dar entrevistaSeja para rádio, TV, impressos ou online, há alguns comportamento e hábitos que podem ajudar a ter um bom desempenho quando conceder uma entrevista.

O ideal é conversar com sua assessoria de imprensa sobre as necessidades e expectativas do repórter – ou até mesmo pensar em um media trainning.

Aqui, listamos aqui algumas ações a serem EVITADAS:

  • Não diga “Escreve aí na sua matéria” ou ordens do gênero;
  • Nunca peça para ler o texto ou ver o vídeo antes de ser publicado, a menos que o próprio jornalista ofereça (algo cada vez mais raro). Já falamos sobre isso nos dois posts abaixo, com participações especiais:

Minha assessoria de imprensa conseguiu uma entrevista. Posso ler antes de ser publicada?Posso ler a matéria antes de ser publicada? – Parte 2

  • Evite interromper uma pergunta, mesmo que seja polêmica ou tenha fatos ou conceitos incorretos – principalmente em entrevistas para rádio e TV. Vai parecer impaciente ou contrariado com o assunto, o que pode gerar uma percepção errada sobre você;
  • Não se precipite ou perca a calma, mesmo diante de perguntas difíceis. Se for pego de surpresa, peça tempo para tomar pé da situação ou trazer a resposta adequada, conversando com sua assessoria de imprensa;
  • Não dê opiniões pessoais que sejam diferentes das profissionais. Afinal, você está falando por sua empresa;
  • Não crie situações ou fatos para agradar ao jornalista ou tentar passar uma boa imagem de sua empresa.

PS: Esse tipo de orientação, com ainda mais detalhes e personalizadas, são colocadas nos manuais de imprensa que elaboramos para nossos clientes. Se quiser debater ou ter mais informações sobre esses assuntos, estamos no LinkedIn.

Conecte-se conosco: Fábio Alberici e Adriana Cavalcanti.

É hora de contratar uma assessoria de imprensa?


Lendo jornal assessoria de imprensa

Quatro sinais que está na hora de contar com uma Assessoria de Imprensa!

Empresas, instituições e empreendedores podem ter dúvida sobre qual o momento certo de contratar uma Assessoria de Comunicação para realizar um bom relacionamento com a imprensa.
Alguns sinais claros que “sim, é hora de contratar” estão dentro da sua corporação ou em seus competidores.

1 – Seu concorrente aparece na mídia, sua empresa não!

Você abre os jornais, sites e blogs, ou vê/ouve os noticiários e dá de cara com seu concorrente com frequência. Aquele com um produto, serviço ou conhecimento similar, ou até mesmo inferior, ao seu está lá falando sobre o segmento, apresentando seus diferenciais.

Com certeza ele criou uma relação produtiva com jornalistas, e a chance de ele já contar com uma assessoria de imprensa para isso é enorme. Não fique para trás!

2 – Você tem boas histórias para contar

  • Os resultados estão muito bons?
  • Você está mudando modelos consagrados de negócio (ou tem um business disruptivo, como diz o ecossistema empreendedor)?
  • Conseguiu inovações para seu setor?
  • O público ou empresas estão sendo ajudados por seu negócio?

É hora de conversar com um especialista, um assessor de comunicação ou imprensa.

3 – Tem jornalista batendo na sua porta

Jornalistas descobrem seu produto, ou precisam do seu conhecimento ou perguntam algo sobre a performance da sua empresa.

É hora de avaliar como tirar o melhor proveito disso para a imagem do seu negócio, e também como atender essa demanda da melhor maneira possível para os dois lados – com bom conteúdo para a imprensa, sem conturbar a rotina do lado da empresa. Um bom projeto de Comunicação e Relacionamento com a Mídia mostrará o caminho.

4 – Seus executivos dão entrevista e você não sabe

De repente um diretor ou especialista do seu time começa a dar entrevistas, e outro, mais um… E todos falando de assuntos inerentes à atuação deles e ao negócio.

É necessário profissionalizar essa relação com os jornalistas, para que a empresa e toda a equipe ganhe com isso – atendimento mais dinâmico, potencialização da exposição, não deixar pontas soltas nas entrevistas, entre outros benefícios.

Se encaixou em uma ou mais das situações acima? Considere falar com uma Agência de Comunicação que tenha entre seus produtos a Assessoria de Imprensa.

Que tal se conectar com a gente?

Estamos no LinkedInFábio Alberici e Adriana Cavalcanti

15 lições para vencer no mundo corporativo – Sonhar Alto, Pensar Grande

livro sonhar alto assessoria de imprensa

No post de hoje, abordamos um novo livro, para o qual estamos realizando a divulgação e assessoria de imprensa.

Mas aqui a ideia é deixar um pouco de lado  as estratégias e assuntos de comunicação para falar do livro em si, já que ele traz bons conteúdos para o desenvolvimento pessoal e dentro das empresas – inclusive nas áreas e agências de Comunicação e Marketing.

O autor é o Theunis Marinho, ex-CEO da Bayer Polímeros (primeiro brasileiro a ocupar o cargo). Ele afirma que a persistência é um dos segredos para chegar ao auge da carreira em um mercado de trabalho altamente competitivo:

“Ninguém chega ao topo por sorte. É preciso muito suor e determinação para alcançá-lo”.

Essas e outras lições estão em Sonhar alto, pensar grande, que acaba de ser lançado pela Editora Gente.

Theunis, que é administrador de empresas e trabalhou por mais de 28 anos no Grupo Bayer, conta sua trajetória recheada de desafios e conquistas no livro, e mostra a importância de sonhar alto e fazer planos desafiadores para o futuro.

Hoje, além de presidir a Associação Brasileira de Recursos Humanos de São Paulo (ABRH-SP), ele é conselheiro consultivo e de administração de empresas como Aon Brasil e Grupo Mottin. Atua também como coach e mentor para CEOs.

Quinze ensinamentos

Na obra, Theunis Marinho destaca os “Quinze mandamentos para o sucesso no mundo corporativo”:

  1. Sonhe alto e faça planos desafiadores para o futuro. Lembre-se: nossos olhos não ficam na nuca.
  2. Não delegue seu destino a terceiros.
  3. Aprenda a dizer não, sempre que necessário e na hora certa.
  4. Não cultive relacionamentos destrutivos. Eles são epidêmicos.
  5. Discipline-se com pensamentos positivos. A vida fica mais suave.
  6. Reflita sobre as consequências dos seus atos antes de colocá-los em prática.
  7. Cultive suas amizades, mesmo que sejam passageiras.
  8. Aprenda com seus erros. Eles são ótimos “professores”.
  9. Não sofra por antecipação.
  10. Não apague seu passado. Ele é seu alicerce mais profundo. Negá-lo é tornar-se um indivíduo falsificado”.
  11. Não adie soluções para seus problemas. Resolva-os respeitando o tempo e todos os envolvidos.
  12. Perdoe quem já o magoou. Você desocupará espaços para preenchê-los com coisas boas.
  13. Estude sempre.
  14. Errar é inevitável.
  15. Tenha bom humor.

Uma das coisas bacanas do livro é que essas lições são apresentadas com exemplos reais, em linguagem direta e deixam uma mensagem poderosa.

Ele está disponível na Saraiva e em outras grandes livrarias de todo o país.

Boa leitura!

Seis dicas pro trabalho de Assessoria de Comunicação vender mais!

Claro que muitos nos procuram para consolidar imagem frente à concorrência, em busca de exposição positiva junto a investidores ou patrocinadores, reconhecimento de marca, etc. Mas o foco de 70%, principalmente de empreendedores e PMEs, é ajudar nas vendas.

Um cliente, estreante no mundo da Comunicação Corporativa, nos contratou porque “O mundo mudou, não consigo mais telefonar e marcar uma reunião como se fazia antigamente. Então quero aparecer para que meu telefone toque”.

Com informações interessantes para divulgar, já viu sua empresa, em menos de três meses, em veículos de enorme relevância como Folha de S. Paulo, Valor, Época, O Globo, entre outros.

Mas o telefone não tocou. O e-mail não chegou. O whatsapp/Skype/Messenger/FaceTime não apitou.

Analisando as demais ferramentas e iniciativas de Comunicação da empresa, uma consultoria de São Paulo, vimos que a aposta na Assessoria de Imprensa estava acontecendo isoladamente. Isso não é mais suficiente num mundo de tantas informações pipocando exaustivamente na tela do computador ou celular, e disputando continuamente a atenção do leitor – ou futuro cliente.

Imagine a cena: o executivo que você quer atingir, aquele que vai comprar prestação de serviços ou produtos de sua empresa, lê uma matéria com ou sobre você. “Puxa, isso é interessante, vou ligar para essa empresa”.

Nesse meio tempo, a secretária deixou um documento urgente, 32 e-mails chegaram, o grupo da equipe no Whatsapp tem outras dezenas de notificações, a matéria seguinte também é interessante… pronto: a sua empresa entrou para a memória, que precisará ser novamente provocada.

Qual a solução: múltiplas ações, todas simples, desenvolvidas em ambiente propício para o seu público-alvo interagir com você.

Seis ações de comunicação para ajudar na geração de leads:

  1. Quando sair uma matéria, coloque no LinkedIn da empresa (sim, ela precisa ter uma página bem produzida e atualizada).
  2. Depois compartilhe essa notícia no seu perfil profissional (que você manterá ativo!) com um lembrete: “Hoje estamos no JORNAL TAL com nosso PROJETO/PRODUTO/SERVIÇO”.
  3. O mesmo vale para o Facebook, ainda mais se seu target for pessoa-física, consumidor final. Um cliente de mercado financeiro captou vários investidores nessa rede com um único post de uma matéria.
  4. Modele um e-mail marketing para compartilhar as principais notícias com clientes e prospects. Outro cliente da Comunicare, este B2B, mandou o tal e-mail com sua matéria no Estadão e recebeu de volta elogios – e pedidos de reunião.
  5. Atualize o site o quanto antes, e coloque lá a notícia e o seu contato. A imagem que o futuro cliente encontrar na internet deve ser condizente com o que viu no jornal – e, assim, de cara ter a certeza “Ah, são esses mesmos!”.
  6. Pense ainda no Whatstapp, grupos de LinkedIn ou Facebook, Instagram se for pertinente ao seu negócio.

Resumindo, faça a notícia chegar a sua network e pipeline de prospects por vários canais. É tão importante quanto o Valor, Folha, Época, revistas especializadas, etc, falarem bem de você.

O que todas as ações acima têm em comum?

1 – Deixam seu cliente a somente um clique (responder/curtir/comentar/telefonar) de sua empresa.

2 – Sua Agência de Comunicação pode realizá-las rapidamente, sem implicar mais trabalho para você.

 

Que tal se conectar com a gente?

Estamos no LinkedInFábio Alberici e Adriana Cavalcanti

Quanto custa uma Assessoria de Imprensa?

“Qual o custo de uma Assessoria de imprensa?”. Eis uma pergunta recorrente e com múltiplas variáveis para responder.quanto_custa_assessoria_imprensa

Basicamente você estará pagando a soma da estrutura da agência com a remuneração de assessores de imprensa, relações-públicas e outros profissionais dedicados ao projeto.

O fator mais preponderante é o nível dos jornalistas, RPs e demais profissionais de Comunicação envolvidos em cada projeto de assessoria de imprensa.

Bons profissionais têm preço – e valem esse investimento.

Ao pedir orçamentos indiscriminadamente, você receberá de preços irrisórios (já vimos cobrarem R$ 500,00 ou R$ 1.000,00.

Mas não confie, aliás fuja!) a somas estelares – essas últimas, normalmente, são de grandes agências para grandes companhias que exigem, além de inteligência, volume alto de horas dedicadas.

No meio do caminho, há agências de médio porte e as boutiques, com profissionais ultra especializados e estrutura otimizada.

Mas, se sua necessidade é posicionar bem sua empresa nos principais veículos que influenciam seu segmento de atuação, tenha em mente que isso é algo relevante, estratégico e não são profissionais e agências mal remunerados que vão conseguir.

Para saber se está bem pago, o ideal é tentar ligar a complexidade dos seus assuntos e necessidades da sua empresa ao valor que lhe foi pedido. Mas, mais uma vez, não confie em orçamentos ‘baratinhos’.

Você contrataria um médico baratinho, ou chamaria aquele que você confia para cuidar da sua saúde?

O mesmo vale para a imagem da sua empresa!
Quer ver como trabalhamos? Passeie pelo nosso site para entender.

Que tal se conectar com a gente?

Estamos no LinkedInFábio Alberici e Adriana Cavalcanti

ENDEREÇO

Rua Afonso Celso, 1221 - Cj 56
CEP 04119-061 - Vila Mariana
São Paulo - SP

TELEFONE

(11) 5594 4174